Bem-vindo, Visitante
Heitor dos Prazeres, O artista, 1959, Compra com recursos fornecidos por GRUPO SEGURADOR BANCO DO BRASIL E MAPFRE, 2017
Heitor dos Prazeres, O artista, 1959, Compra com recursos fornecidos por GRUPO SEGURADOR BANCO DO BRASIL E MAPFRE, 2017
Sobre o curso O curso, organizado em três encontros, propõe refletir sobre as relações entre arte e raça no Brasil, tomando a categoria de arte afro-brasileira, seus principais artistas, críticos e instituições como eixo condutor de um debate amplo e de longa duração, envolvendo noções de identidade nacional, engajamento político-estético e produção de contra-narrativas visuais. De maneira introdutória e num diálogo transdisciplinar entre antropologia, arte e história, tratará de examinar a presença negra nas artes plásticas (do século XVIII aos dias atuais, com foco na produção contemporânea); as discussões entre tema e autoria negras como critérios ora divergentes, ora complementares de classificação e escolha curatoriais; e o jogo complexo entre políticas de representação e iniciativas de representatividade racial nos circuitos artísticos, tomando o acervo do MASP como objeto privilegiado de análise
Planos de aulas (clique para mostrar/ocultar)
Aula 1. 22.6
Negros na arte e cultura visual brasileiras: entre representações e representatividade
Apresentação do curso. A persistência das imagens: convenções visuais de escravidão e sevícia, retóricas do exotismo e do "popular", os lugares previstos -da subalternidade à exaltação. A presença oculta de artistas negros na história da arte brasileira: entre políticas de branqueamento e anonimidade, de exclusão e reconhecimento

Aula 2. 29.6
O conceito inconstante de arte afro-brasileira: um diálogo entre forma, tema e autoria
O conceito inconstante de arte afro-brasileira: um diálogo entre forma, tema e autoria "Bom para pensar": o papel de críticos, curadores, exposições e museus na constituição do conceito de arte afro-brasileira. Uma produção também "boa para agir": artistas negros contemporâneos, releituras da história e criação de contra-narrativas em primeira pessoa.

Aula 3. 7.7
A presença negra no MASP: entre ausências, ruídos e mudanças
Desafios e demandas do tempo presente: museus e marcadores sociais da diferença. Tematizando questões raciais no acervo do MASP.
Visita na coleção do MASP: Acervo em Transformação à luz dos temas debatidos no curso; discussão de obras selecionadas do acervo.

Coordenação (clique para mostrar/ocultar)
Hélio Menezes é graduado em Relações Internacionais e Ciências Sociais pela Universidade de São Paulo. Mestrando pelo Programa de Pós-Graduação em Antropologia Social da mesma universidade, atua também como pesquisador do Núcleo de Marcadores Sociais da Diferença (NUMAS) e do Núcleo Etno-história. Nos últimos anos, tem desenvolvido reflexões sobre arte afro-brasileira, antropologia da imagem, museus, arte e ativismo em artigos e cursos.
Titulo
mensagem
Ok!