Bem-vindo, Visitante
Belmiro de Almeida, Figura de Jovem Negra,década de 1880
Belmiro de Almeida, Figura de Jovem Negra,década de 1880
Sobre o curso O curso discutirá a representação de pessoas negras na história da arte brasileira, retomando a análise de obras que, em dado momento, foram esquecidas das narrativas oficiais, de forma deliberada ou não. Em outros casos, reexaminar trabalhos já conhecidos que reavivam problemas importantes de nosso tempo. Outro tema de estudo será a diversidade dos modos pelos quais a população negra tem sido representada, partindo de análises de uma perspectiva de longa duração: de Frans Post a Sidney Amaral, passando pela arte brasileira do século 19, da Belle Époque, pelo modernismo até a complexa cena negra contemporânea. Com foco no contexto brasileiro, o curso irá propor comparações entre a produção nacional com a arte produzida em outros contextos da diáspora negra.

Planos de aulas (clique para mostrar/ocultar)
Aula 1 – 06.09
Desafios de uma história social da arte
Discutiremos as balizas teóricas do curso, passando por uma bibliografia ligada à história social da arte que nos permita abordar questões como classe, raça e gênero, entendendo os objetos de arte como um lugar privilegiado para a observação desses fenômenos.

Aula 2 – 13.09
A historiografia sobre o negro no Brasil
Recuperaremos a intelligentsia brasileira que teoriza desde, ao menos, Nina Rodrigues, sobre o nacional e o papel do negro nessa sociedade, mostrando de que maneira podemos evocar as recentes contribuições da historiografia brasileira sobre a escravidão na análise dos objetos artísticos.

Aula 3 – 20.09
Eurovisão
Será discutida a visão que os europeus produziram sobre os negros nas Américas. Trataremos em vários momentos dos únicos “registros” visuais desse processo, a fim de recuperar as tensões sociais envolvidas na produção dessas obras.

Aula 4 – 27.09
Os negros e a arte moderna
Abordaremos a maneira como os negros passaram a ser pauta na arte moderna nacional. Reposicionaremos essa história que, frequentemente, exclui a produção de pintores negros como Arthur Timótheo da Costa, confrontando-a com a produção estabelecida pelo modernismo.

Aula 5 - 28.09
Arte negra contemporânea
Passaremos pela exposição Histórias Afro-Atlânticas, refletindo sobre o estabelecimento de uma cena negra con-temporânea, um movimento difuso que revela a complexidade dessa experiência no mundo atual.

Coordenação (clique para mostrar/ocultar)
Kleber Antonio de Oliveira Amancio é professor de História, Teoria, Crítica e Curadoria de Arte do Centro de Cultura, Linguagem e Tecnologias Aplicadas da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB) e do mestrado profissional em História da África, da diáspora e dos povos indígenas pela mesma instituição. Doutor em História Social pela Universidade de São Paulo (USP), e visiting researcher na Harvard University. Pesquisador da linha escravidão e invenção da liberdade – UFBA e do grupo de pesquisa Nós e os outros da UFRB.

Titulo
mensagem
Ok!