Bem-vindo, Visitante
Vista da pinacoteca do MASP em dezembro de 2015, foto Eduardo Ortega.
Vista da pinacoteca do MASP em dezembro de 2015, foto Eduardo Ortega.
Sobre o curso O curso intensivo propõe uma abordagem do acervo do MASP por meio da figuração do corpo humano na arte. A constituição do acervo do MASP revela a influência dos debates intelectuais das primeiras décadas do século 20 acerca da constituição, variação, desenvolvimento e, por assim dizer, “implosão” da tradição figurativa, do renascimento até as vanguardas da arte moderna. Tratando de obras específicas das coleções de arte europeia e brasileira do museu, pretende-se discutir as tradições figurativas da arte ocidental que tomaram o corpo humano como seu enfoque de representação.
Planos de aulas (clique para mostrar/ocultar)
25/07. Aula 1.
Introdução do curso: uma pequena história nada linear. O corpo no centro do “mistério cristão”: Jesus Cristo, a Virgem e os santos. O universo em miniatura. O corpo da rei como corpo do Estado: Charles Le Brun e Luís XIV. A imagem do corpo perfeito na arte: Leonardo da Vinci e Albrecht Dürer.
Visita na coleção do MASP: Maestro Del Bigallo, Virgem em Majestade com Menino e Dois santos; Maestro di San Martino alla Palma, Virgem com Menino Jesus; Rafael, Ressurreição de Cristo.

26/07. Aula 2.
A presença do nu em alegorias; cenas do Antigo Testamento e no martírio dos santos. Os espaços de exposição da nudez no século 16. Imageria erótica da mulher deitada: cassoni florentinos; Giorgione, Vênus adormecida; Ticiano, Vênus de Urbino.
Visita na coleção do MASP: Pietro Perugino e ateliê, São Sebastião na coluna; François Clouet, O banho de Diana.

27/07. Aula 3.
A anatomia revoluciona a representação do corpo individual: Andreas Vesalius e os aspectos da gravura, Rembrandt van Rijn e Lição de Anatomia do Dr. Tulp e o papel de Leonardo da Vinci e Rembrandt. A construção do corpo como representação social de si mesmo: Erasmo e Castiglione. O retrato como consciência: Moretto de Brescia: Retrato de Homem Jovem.
Visita na coleção do MASP: Rembrandt van Rijn (e ateliê), Retrato de jovem com corrente de ouro e Diego Velázquez, Retrato do Conde-Duque de Olivares.

28/07. Aula 4.
O corpo e o cadáver: o Marat de David e a Barca da medusa de Géricault. O nu feminino: dos disfarces alegóricos ao escândalo do “real”: a Vênus de Cabanel, a Olympia de Manet e Estudo de Mulher de Amoedo. O íntimo e o pornográfico: A origem do mundo de Courbet e a fotografia. O corpo como deleite e como ruína. A pintura naturalista e Almeida Junior. A expressividade e energia matérica do corpo na escultura. Daumier e Rodin.
Visita na coleção do MASP: Ingres, Angélica acorrentada; Victor Meirelles, Moema; Manet, Banhista no Sena – Academia; Almeida Júnior, Moça com livro; Cézanne, Negro Cipião; Renoir, A banhista e o cão Grifon; Rodin, A meditação.

29/07. Aula 5.
O dinamismo do corpo como metáfora da “impressão” e do movimento: Degas e Lautrec. O corpo que olha versus a máquina que captura: o peso dos dispositivos técnicos. O corpo-organismo versus o corpo-estrutura; construção e desconstrução do corpo moderno. As demoiselles de Avignon, de Picasso. A arte como ação do corpo. Soirées Dada e as experiências de Flavio de Carvalho.
Visita na coleção do MASP: Almeida Júnior, O ateliê do artista; Degas, série das bailarinas; Toulouse Lautrec, A Bailarina Loïe Fuller Vista dos Bastidores (A Roda); Picasso, Busto de Homem, o Atleta; Anita Malfatti, A estudante; Flavio de Carvalho, Nu feminino deitado.

Professoras (clique para mostrar/ocultar)
Fernanda Pitta é historiadora da arte, curadora da Pinacoteca de São Paulo e professora de história da arte moderna e contemporânea na Escola da Cidade - Faculdade de Arquitetura e Urbanismo. Doutora em Artes Visuais pela ECA-USP, suas pesquisas têm como foco a arte no Brasil no entre séculos 19-20 em contexto transnacional; atua também no campo da crítica de arte contemporânea. Foi curadora, com Valéria Piccoli, da série de mostras Coleções em Diálogo: Museu Mariano Procópio e Pinacoteca de São Paulo (2014) e Coleções em Diálogo: Museu Paulista e Pinacoteca de São Paulo (2016). Atualmente, organiza uma exposição da produção da artista Ana Maria Tavares, a ser realizada a partir de novembro de 2016 na Pinacoteca de São Paulo.

Flavia Galli Tatsch é doutora em História pela Universidade Estadual de Campinas (Unicamp). Mestre em Ciência da Informação e Documentação pela Universidade de São Paulo (USP). Graduada e licenciada em História pela USP. Professora Adjunta de História da Arte Medieval na Escola de Filosofia, Letras e Ciências Humanas - EFLCH da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp) e professora do Programa de Pós-Graduação em História da Arte (Unifesp). Vice-coordenadora do curso de graduação de História da Arte da EFLCH/Unifesp entre 05/2013 e 05/2015. Responsável pelo Núcleo de Pesquisa História da Arte (Unifesp) no Laboratório de Estudos Medievais - LEME. Tem como principais temas de pesquisa: história e imagens; história da arte medieval; cultura visual, transferências e circulações artísticas na Idade Média; gravuras tardo-medievais e proto-modernas. Também tem experiência no desenvolvimento de exposições de história e de arte, assim como na elaboração de material didático e educativo para professores e alunos.
Titulo
mensagem
Ok!