Bem-vindo, Visitante
Obras do acervo do MASP nos Cavaletes de cristal de Lina Bo Bardi
Obras do acervo do MASP nos Cavaletes de cristal de Lina Bo Bardi
Sobre o curso Na tradição ocidental a narrativa é uma forma indispensável para ordenar eventos no tempo. Da mesma maneira, a arte figurativa organizou-se em torno do desejo de dar um sentido unificado às formas no espaço – criando frequentemente imagens que contam histórias. Quando nos deparamos com uma imagem figurativa, é difícil não construir uma narrativa imediata para ela – daquele momento retratado, do seu antes, do seu depois. O presente curso vai examinar, a partir de obras do acervo do MASP, algumas das formas narrativas presentes na pintura ocidental explorando seus elementos chave – o tempo, o espaço e o personagem – a fim de discutir as diferentes maneiras pelas quais uma imagem é capaz de contar histórias.

Planos de aulas (clique para mostrar/ocultar)
06/02/2017
Aula 1
Tempo Como se representa o tempo na arte figurativa? O tempo da eternidade e o tempo da história. A sucessão do tempo, a simultaneidade e o instante. Na coleção do MASP: Virgem em Majestade com o Menino e dois anjos, Maestro del Bigallo; Cristo carregando a cruz, a crucificação e o sepultamento, Jan van Dornicke; O banho de Diana, François Clouet; A bailarina Loïe Fuller vista dos bastidores (A roda), Henri de Toulouse-Lautrec.

07/02/2017
Aula 2
Espaço O espaço imaginário e o espaço concreto. A configuração do espaço – a ilusão de tridimensionalidade e a narrativa figurada. Deslocamento, movimento e os desafios ao caráter estático das imagens. Na coleção do MASP: As tentações de Santo Antão, Hieronymus Bosch; A canoa sobre o Epte, Claude Monet; Quatro bailarinas em cena, Edgar Degas.

08/02/2017
Aula 3
Personagem As entonações da narrativa e as fórmulas de pathos – os personagens e seus gestos. A ação humana e a sua exemplaridade. A hierarquia dos personagens e suas transformações. Na coleção do MASP: Madona com o Menino no trono e quatro santos, Maestro del Bigallo; Adoração dos Pastores, Bartolomeo Passante; As quatro estações, Eugene Delacroix; A educação faz tudo, Jean-Honoré Fragonard.

Coordenação (clique para mostrar/ocultar)
Fernanda Pitta é historiadora da arte, curadora da Pinacoteca de São Paulo e professora de história da arte moderna e contemporânea na Escola da Cidade - Faculdade de Arquitetura e Urbanismo. Doutora em Artes Visuais pela ECA-USP, suas pesquisas têm como foco a arte no Brasil no entre séculos 19-20 em contexto transnacional; atua também no campo da crítica de arte contemporânea. Foi curadora, com Valéria Piccoli, da série de mostras Coleções em Diálogo: Museu Mariano Procópio e Pinacoteca de São Paulo (2014) e Coleções em Diálogo: Museu Paulista e Pinacoteca de São Paulo (2016). É curadora de uma exposição da produção da artista Ana Maria Tavares, inaugurada em novembro de 2016 na Pinacoteca de São Paulo.
Titulo
mensagem
Ok!