Bem-vindo, Visitante
Mochica, século 1 ao 8 d.C., Peru, Vaso escultórico com alça estribo (figura feminina), coleção MASP Landmann
Mochica, século 1 ao 8 d.C., Peru, Vaso escultórico com alça estribo (figura feminina), coleção MASP Landmann
Sobre o seminário Com a participação de arqueólogos, pesquisadores e curadores, o seminário internacional Arte pré-colombiana pretende promover discussões sobre as obras que constituem a Coleção MASP Landmann, recentemente cedidas por dez anos em comodato ao Museu. O seminário abordará tópicos como a inserção das peças dessa coleção entre as culturas dos Andes Centrais, arte e iconografia e coleções arqueológicas amazônicas. A Coleção MASP Landmann é composta por cerca de 900 obras de arte pré-colombiana e é uma das únicas desta natureza presente em um museu brasileiro. Ampla e diversificada, a coleção possui espécimes de cerâmica, tecidos e metais de inúmeros povos que habitaram parte do território que hoje constitui a América do Sul, como Peru, Colômbia e Brasil, cobrindo um arco temporal de quase 2.500 anos – desde 1000 a.C. até a invasão europeia na metade do século 16. Entre as principais culturas, destacam-se: Chavin, Chimu, Huari, Moche, Nazca, Paracas, Recuay, Tiahuanaco, Vicus, Viru, Chancay, Inca, Quimbaya, Tairona, Muísca, Sinu, Calima e Marajó.

[With the participation of curators and archaeologists, the international seminar Arte pré-colombiana [Pre-Columbian Art] aims to promote discussions about the pieces that constitute the MASP Landmann Collection, which the museum recently received on a ten-year loan. The seminar will touch on topics such as the insertion of the pieces of this collection among the cultures of the Central Andes, art and iconography, as well as Amazonian archaeological collections. The MASP Landmann Collection consists of about 900 works of pre-Columbian art and is one of the only sets of this nature present in a Brazilian museum. This large and diversified collection includes ceramic, fabric and metal specimens produced by countless peoples who inhabited part of the territory that currently constitutes South America, including Peru, Colombia and Brazil, covering a time span of nearly 2,500 years – from 1000 BC until the European invasion in the middle of the 16th century. The main cultures represented most notably include: Chavin, Chimu, Huari, Moche, Nazca, Paracas, Recuay, Tiahuanaco, Vicus, Viru, Chancay, Inca, Quimbaya, Tairona, Muísca, Sinu, Calima and Marajó.]

O Seminário contará com tradução simultânea e libras.

[The seminar will be simultaneously interpreted into Brazilian Sign Language and English].

Curadoria: Marcia Arcuri

[Curatorship: Marcia Arcuri]

Organização: André Mesquita e Luiza Proença

[Organization: André Mesquita, Luiza Proença and Marcia Arcuri]


Programa [Program]

9-10h

Credenciamento e inscrições [Sign-up and registration]

10h-10h30

Introdução [Introduction]

ADRIANO PEDROSA, MARCIA ARCURI E [AND] JULIO LANDMANN

10h30-12h30

DENISE SCHAAN
Arte da Cerâmica Marajoara: contextualizando a Coleção MASP Landmann

[The art of Marajoara ceramics: contextualizing the MASP Landmann Collection]

A cerâmica produzida na Ilha de Marajó entre os séculos 5 e 14 tem exercido um grande fascínio sobre leigos e pesquisadores desde a sua “descoberta”, em fins do século 19. Ao longo dos anos, sítios arqueológicos foram escavados e saqueados, levando à formação de coleções em museus e em mãos de particulares. A cerâmica, decorada com diversas técnicas e motivos impressionantes, já foi estudada por vários arqueólogos, que propuseram diferentes interpretações. A apresentação propõe-se a mostrar maneiras de interpretar os símbolos expressos na cerâmica e a revisitar a história dos povos que a produziram. Exemplos da Coleção MASP Landmann serão usados para ilustrá-la e contextualizá-la. Ao final, serão apresentadas algumas reflexões sobre o uso contemporâneo dos símbolos gravados na cerâmica marajoara.

[The ceramics produced on Marajó Island between the 5th and 14th centuries has held great fascination for laypeople and researchers alike ever since the “discovery” of this ceramics in the late 19th century. Over the years, archaeological sites were excavated and looted, the pieces being carried off to enter museum collections or the holdings of private parties. The ceramics, decorated with various techniques and impressive motifs, has been studied by various archaeologists, who have proposed different interpretations. This presentation aims to show ways of interpreting the symbols expressed on the ceramics and to revisit the history of the peoples who produced them. Examples from the MASP Landmann Collection will be used to illustrate this history and contextualize it. Finally, some reflections will be presented concerning the contemporary use of the symbols engraved on Marajoara ceramics.

CRISTIANA BARRETO
Corpos de barro: identidade e transformação nas cerâmicas arqueológicas da Amazônia

[Clay bodies: identity and transformation in the archaeological ceramics of Amazonia]

Nas últimas décadas os estudiosos da Amazônia ameríndia vêm insistindo na importância da “fabricação do corpo” enquanto processo de construção de identidades e prática classificatória dos seres e das coisas. Salientam a importância dos atributos físicos e visuais do corpo como elementos definidores da sociabilidade e também mostram que a ideia de que a aparência dos seres pode ser instável e cambiante está no cerne do xamanismo amazônico. Esta apresentação parte da perspectiva de que a construção e representação de corpos nas cerâmicas arqueológicas podem ser estudadas enquanto práticas classificatórias e concepções particulares sobre a natureza dos seres, cujas codificações encontramos nos diferentes estilos das estatuetas, vasos e urnas funerárias. Assim, a análise destes corpos em barro nos traz novas informações sobre as identidades dos diferentes grupos que habitaram a Amazônia no passado pré-colonial e nos ajudam a interpretar esta produção no contexto mais amplo das muitas tradições ceramistas pré-colombianas.

[In recent decades, scholars of Amerindian Amazonia have been insisting on the importance of the “fabrication of the body” as a process for the construction of identities and as a classificatory practice of beings and things. They underscore the importance of the body’s physical and visible attributes as defining elements of sociability while also pointing out that one of the underlying principles of Amazonian shamanism is the idea that the appearance of beings can be unstable and changing. This presentation is based on the perspective that the construction and representation of bodies in the archaeological ceramics can be studied as classificatory practices and as particular conceptions concerning the nature of beings, whose codifications we find in the different styles of the statuettes, vases and funeral urns. The analysis of these clay bodies thus provides us with new information about the identities of the different groups that inhabited Amazonia in the precolonial past, and helps us to interpret this production within the wider context of the many pre-Columbian ceramic traditions.]

EDUARDO GOÉS NEVES
Tudo que brilha é ouro… mas isso importa? A relevância conceitual da arqueologia da Amazônia

[All that glitters is gold… But does this matter? The conceptual relevance of the archaeology of Amazonia

Ao longo da segunda metade do século 20, a arqueologia da Amazônia se desenvolveu a partir de premissas de que os trópicos não teriam condições ambientais para sustentar populações estáveis e de grande porte. A revisão dos princípios do determinismo ambiental e o acúmulo gradual de dados nos últimos anos têm contribuído para uma lenta modificação dessas ideias: sabe-se hoje que a ocupação inicial da Amazônia, com mais de 10.000 anos, é tão antiga quanto o resto do continente e que também as cerâmicas mais antigas produzidas no novo mundo vêm de contextos amazônicos. Esta apresentação utilizará dados de pesquisas arqueológicas recentes e contribuições antropológicas contemporâneas para propor uma perspectiva distinta, independente das tradicionais abordagens evolucionistas e deterministas ainda dominantes na arqueologia das Américas e cuja validade pode ir além dos contextos amazônicos.

[Throughout the second half of the 20th century, the archaeology of Amazonia was developed based on premises which held that the tropics did not have environmental conditions to sustain stable, large-scale populations. The revision of the principles of environmental determinism and the gradual accumulation of data in recent years has contributed to a slow modification of these ideas: it is known today that the initial occupation of Amazonia, dating to more than 10,000 years ago, is as old as that of the rest of the continent, and that the oldest pottery produced in the New World comes from Amazonian contexts. This presentation will use data from recent archaeological research studies and contemporary anthropological contributions to propose a different perspective, independent from the traditional evolutionist and determinist approaches which are still dominant in the archaeology of the Americas, and whose validity can extend beyond the Amazonian contexts.]

14h-16h

GEORGE LAU
Vizinhos do norte peruano: os objetos Moche e Recuay da Coleção MASP Landmann (d.C. 200-800)

[Neighbors in northern Peru: the MASP Landmann Collection of Moche and Recuay objects (AD 200–800)]

Durante o 1º milênio d.C., as culturas antigas do norte do Peru estavam entre as mais dinâmicas e notáveis de todas as Américas, incluindo Moche, Recuay e Gallinazo (Virú). Essas culturas são conhecidas como os estilos associados a grupos vizinhos, que surgiram na mesma época e cujo desenvolvimento foi, por vezes, fortemente interligado, sobretudo porque suas terras tinham áreas em comum (especialmente nos vales costeiros de Nepeña, Santa, Chao e Virú). Embora tenham importantes semelhanças culturais que indiquem contemporaneidade, interação e formas compartilhadas de cultura material de elite, as culturas também são notáveis ​​por profundas diferenças na natureza e prática da autoridade política e identidade social. Um “estilo de prática” enfatizava o parentesco, a habitação e a regeneração coletiva; o outro enfatizava o status privilegiado de senhores, seu distanciamento dos plebeus e as narrativas oficiais sobre sua divindade e fama. A Coleção MASP Landmann contém objetos, especialmente em cerâmica, que iluminam as relações culturais e sociais sem precedentes entre esses povos vizinhos.

[During the 1st millennium AD, the ancient cultures of northern Peru were among the most dynamic and accomplished of all the Americas and included the Moche, Recuay and Gallinazo (Virú). These cultures are well known as the corporate styles of neighboring groups, who arose together and whose developments were, at times, heavily interconnected, not least because their lands overlapped (especially in the coastal valleys of Nepeña, Santa, Chao and Virú). While having important cultural similarities, which denote contemporaneity, interaction, and shared forms of elite material culture, the cultures are also notable for profound differences in the nature and practice of political authority and social identity. One “style of practice” emphasized kin, house and collective regeneration; the other emphasized the privileged status of lords, their distance from commoners, and official narratives about their divinity and fame. The MASP Landmann Collection contains objects, especially pottery, which illuminate the unprecedented cultural and social relations between these neighboring peoples.]

MARCOS MARTINÓN-TORRES
Metalurgia pré-colombiana em coleções de museus: a contribuição da ciência arqueológica

[Pre-Columbian metalwork in museum collections: the contribution of archaeological science]

A Coleção MASP Landmann apresenta uma variedade excepcional de objetos metálicos, incluindo artefatos destacados em ouro e ligas de cobre de uma gama de culturas andinas. Sua exibição permite ao público apreciar a sensibilidade artística e a habilidade técnica de metalúrgicos antigos, bem como alguns aspectos dos usos simbólicos e rituais de metais que são muito diferentes dos nossos. No entanto, podemos também ir além das impressões superficiais: a análise desses artefatos empregando técnicas científicas nos permite revelar informações sobre povos do passado que, de outra maneira, permaneceriam ocultos. A palestra apresentará exemplos de trabalho com metalurgia sul-americana para sugerir algumas vias de pesquisa e engajamento público para a coleção. Entre elas estão contribuições para o estudo do antigo conhecimento técnico e da organização artesanal, preferências de cores e sua variabilidade cultural, a atribuição de objetos a artistas individuais e a integração desta coleção em agendas internacionais de pesquisa.

[The Landmann Collection at the Museu de Arte de São Paulo includes an exceptional array of metal objects, including outstanding artefacts in gold and copper alloys from a range of Andean cultures. Their display allows the public to appreciate the artistic sensitivity and technical skill of ancient metalworkers, as well as some aspects of the symbolic and ritual uses of metals that are very different from our own. We can, however, also go beyond the superficial impressions: the analysis of these artefacts employing scientific techniques allows us to reveal information about past peoples that would otherwise remain hidden. The talk will present examples from my experience working with South American metalwork to suggest some research and public engagement avenues for the MASP Landmann Collection. These include contributions to the study of ancient technical knowledge and craft organization, color preferences and their cultural variability, the attribution of objects to individual artists, and the integration of this collection in international research agendas.]

COLIN MCEWAN
Todos os aspectos considerados: trabalhando com uma coleção privada

[All things considered: working with a private collection]

As culturas Paracas e Nazca, da costa sul do Peru, representam um avanço precoce no surgimento da civilização andina. Por quase um milênio – de cerca de 300 a.C. a 700 d.C. – elas estavam na vanguarda da inovação tecnológica em diferentes meios, desde cerâmica e têxteis até a criação de geoglifos na paisagem do deserto. O estilo Nazca é caracterizado por motivos impressionantes que convidam a uma análise mais detalhada de seus significados como elementos inter-relacionados que, juntos, compreendem o que é mais bem descrito como uma "cosmologia ecológica". Trabalhar com uma coleção privada como esta levanta importantes questões sobre a razão para se coletar. Convida-nos a considerar o contexto histórico do colecionador, seus motivos e objetivos e as circunstâncias sociais e políticas que moldam o processo de aquisição. O conhecimento e a expertise (ou a falta dela) investidos em uma coleção é um fator crítico quando abordada a proveniência e a autenticidade do material. Isso, por sua vez, terá um impacto direto na qualidade do conhecimento baseado no estudo da coleção.

[The Paracas and Nazca cultures of Peru’s South Coast represent a precocious advance in the rise of Andean civilization. For nearly a millennium from around 300 BC to 700 AD they were at the forefront of technological innovation in different media ranging from pottery and textiles to the creation of geoglyphs etched on the desert landscape. The Nazca style is characterized by striking motifs that beckon for a closer analysis of their meanings as inter-related elements that together comprise what is best described as an “ecological cosmology.” Working with a private collection like this raises important questions about the rationale for collecting itself. It invites us to consider the historical context of the collector, his or her motives and goals, and the social and political circumstances shaping the process of acquisition. The knowledge and expertise (or lack of it) that go into the collection is a critical factor when addressing the provenance and authenticity of the material. This in turn will have a direct bearing on the quality of scholarship based on study of the collection.]





Participantes [Participants] (clique para mostrar/ocultar)
Colin McEwan
Diretor de Estudos Pré-Colombianos da Coleção e Biblioteca de Dumbarton Oaks em Washington. Especializou-se em Arte e Arqueologia das Américas pré-colombianas e realizou trabalhos de campo em locais como as terras altas do Peru, Amazônia colombiana, litoral do Equador e Patagônia. De 1979 a 1991 dirigiu o Projeto Arqueológico Agua Blanca, focado em um importante assentamento Manteño no Parque Nacional Machalilla, no litoral do Equador. Foi chefe da Seção das Américas no Museu Britânico, em Londres, onde foi autor ou coeditor, entre outros livros, de Ancient Mexico in the British Museum (1994); Pre-Columbian Gold: Technology, Style and Iconography (2000); Unknown Amazon: Culture in Nature in Ancient Brazil (2001); Inca Sacred Space: Landscape, Site and Symbol in the Andes (2014).

[Director of Pre-Columbian Studies at Dumbarton Oaks Research Library and Collection, Washington DC. He specializes in the art and archaeology of the Pre-Columbian Americas and has carried out fieldwork in diverse settings ranging including the Peruvian Highlands, Colombian Amazon, coastal Ecuador and Patagonia. From 1979–1991 he directed the Agua Blanca Archaeological Project focused on a major Manteño settlement in the Machalilla National Park, coastal Ecuador. He was formerly head of the Americas Section at the British Museum, London where he authored or co-edited various books, including Ancient Mexico in the British Museum (1994); Pre-Columbian Gold: Technology, Style and Iconography (2000); Unknown Amazon: Culture in Nature in Ancient Brazil (2001); Inca Sacred Space: Landscape, Site and Symbol in the Andes (2014).]

Cristiana Barreto
Arqueóloga e curadora. Pesquisadora do Museu Paraense Emílio Goeldi, atua em diferentes projetos de pesquisa arqueológica na Amazônia e está à frente da curadoria das coleções arqueológicas. É bacharel em História, mestre em Antropologia Social e doutora em Arqueologia, pela USP. Nos últimos anos dedica-se ao estudo dos universos estéticos da Amazônia pré-colonial e da relação entre estilos cerâmicos, princípios de representação e identidades culturais. Atuou em diversos projetos de gestão, socialização e curadoria do patrimônio arqueológico, publicou artigos e livros acadêmicos e organizou catálogos de exposições, sempre com um foco especial na cultura material ameríndia.

[An archaeologist and curator. A researcher with the Museu Paraense Emílio Goeldi, she works in different archaeological research projects in Amazonia and heads the curatorship of archaeological collections. She holds a BA in history, an MA in social anthropology and a PhD in archaeology, from USP. In recent years she has dedicated herself to the study of the aesthetics of precolonial Amazonia and the relationship among pottery styles, principles of representation and cultural identities. She has worked in various projects for the management, socialization and curatorship of archaeological heritage, published academic books and articles, and organized exhibition catalogs, always with a special focus on Amerindian material culture.

Denise Schaan
Mestre em arqueologia/história pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul e doutora em antropologia social pela Universidade de Pittsburgh, Estados Unidos. Pesquisou em seu mestrado a iconografia da cerâmica marajoara e no doutorado a emergência de complexidade social na Ilha de Marajó, antes da conquista europeia. Comparou o desenvolvimento cultural dos povos pré-colombianos da Amazônia no livro Sacred Geographies of Ancient Amazonia (Left Coast Press, 2012). Foi presidente da Sociedade de Arqueologia Brasileira (2007-2009). Fez pós-doutorado no PPGAS/Museu Nacional (2015-16). É professora da Universidade Federal do Pará, onde pesquisa e ministra no curso de pós-graduação em Antropologia e na graduação em Cinema e Audiovisual. É editora da revista Amazônica e pesquisadora do CNPq.

[Holds an MA in archaeology/history from Pontifícia Universidade Católica of Rio Grande do Sul and a PhD in social anthropology from the University of Pittsburgh, United States. For her master’s degree she researched the iconography of Marajoara pottery and her PhD thesis concerned the emergence of social complexity on Marajó Island, before the European conquests. She compared the cultural development of the pre-Columbian peoples of Amazonia in the book Sacred Geographies of Ancient Amazonia (Left Coast Press, 2012). She was president of the Sociedade de Arqueologia Brasileira (2007–2009). She completed a postdoctoral program at PPGAS/Museu Nacional (2015–16). She is a professor at Universidade Federal do Pará where she researches and teaches the undergraduate Cinema and Audiovisual course. She is an editor for the magazine Amazônica and a CNPq researcher.

Eduardo Góes Neves
Professor titular de Arqueologia Brasileira no Museu de Arqueologia e Etnologia da Universidade de São Paulo e professor visitante no Departamento de Antropologia da Universidade de Harvard. Tem graduação em História pela FFLCH-USP e doutorado em Arqueologia pela Universidade de Indiana. Publicou livros e artigos no Brasil e exterior e foi professor visitante em instituições latino-americanas e europeias. Orientou mais de 30 teses e dissertações sobre arqueologia da Amazônia e continua ativo em pesquisas de campo na região.

[A professor of Brazilian archaeology at the Museu de Arqueologia e Etnologia of the Universidade de São Paulo and a visiting professor of the Department of Anthropology of Harvard University, he holds a degree in history from FFLCH-USP and a PhD in archaeology from the University of Indiana. He has published books and articles in Brazil and abroad and has served as a visiting professor at Latin American and European institutions. He has served as an advisor for more than thirty theses and dissertations about archaeology in Amazonia and continues to be active in field research in the region.]

George Lau
Pesquisador em Arte e Arqueologia das Américas na Universidade de East Anglia, Reino Unido. Lau é especialista em Arqueologia dos Andes Centrais e liderou projetos de campo no departamento de Ancash, Peru. Sua pesquisa se concentra na cultura material, pré-história e cosmologia dos antigos povos andinos. É autor dos livros Andean Expressions: Art and Archaeology of the Recuay Culture (2011), Ancient Alterity in the Andes: A Recognition of Others (2012) e An Archaeology of Ancash: Stones, Ruins and Communities in Ancient Peru (2016). É também um dos editores fundadores da revista World Art.

[Reader in the Art and Archaeology of the Americas, University of East Anglia. Dr Lau specialises in the archaeology of the Central Andes and has led fieldwork projects in the Department of Ancash, Peru. His research focuses on the material culture, prehistory and cosmology of ancient Andean peoples. He is the author of Andean Expressions: Art and Archaeology of the Recuay Culture (2011); Ancient Alterity in the Andes: A Recognition of Others (2012), and An Archaeology of Ancash: Stones, Ruins and Communities in Ancient Peru (2016). He is also one of the founding editors of the journal World Art.]

Marcos Martinón-Torres
Professor de Ciências Arqueológicas no Instituto de Arqueologia da University College London, onde lidera uma equipe de pesquisadores internacionais que trabalham em tecnologias e materiais antigos. Seus interesses de pesquisa se estendem pelo globo, com experiência substancial em práticas metalúrgicas e tecnologias mais amplas nas Américas, Europa, África e Ásia. Seus projetos atuais concentram-se na arqueologia da alquimia e química no início do mundo moderno, na fabricação do Exército de Terracota Chinês e nos estudos de alta resolução de artefatos de metal e metalurgia na América do Sul pré-colombiana. É autor de mais de 100 publicações em várias línguas e realizou mais de 100 palestras em cerca de 20 países.

[Professor of Archaeological Science at the UCL Institute of Archaeology in London, where he leads a team of international researchers working on ancient materials and technologies. His research interests span the globe, with substantial experience on metallurgical practices and broader technologies in the Americas, Europe, Africa and Asia. Current projects focus on the archaeology of alchemy and chemistry in the early modern world, the making of the Chinese Terracotta Army, and high-resolution studies of metal artifacts and metallurgy in Pre-Columbian South America. He has authored more than 100 publications in several languages and has delivered over 100 invited talks in some 20 countries.]





Participantes (clique para mostrar/ocultar)

Titulo
mensagem
Ok!